ISO de inovação: o que é e quais seus benefícios?

imagem de uma mulher segurando um tablet

Você sabia que mais de 150 empresas ao redor do mundo já adotaram a ISO de inovação?

 

Também conhecida como ISO 56002, essa norma de gestão está cada vez mais no radar de companhias de todos os países. Afinal, em um mercado cada vez mais competitivo, ficou clara a necessidade de ações inovadoras que elevassem as marcas frente a seus concorrentes.

 

Após anos de análises e discussões baseadas nas experiências de negócios de mais de 160 países, a ISO de inovação surgiu para auxiliar as empresas a pensarem fora da caixa. Na jornada rumo à prosperidade, a inovação se tornou a palavra de ordem.

 

Em intensas transformações globais impulsionadas pela pandemia, a norma ganhou ainda mais relevância em um contexto internacional, capaz de estruturar novos processos com foco na geração de valor para as empresas.

 

No Brasil, dez companhias já adotaram a ISO de inovação, com muitas outras já em processo de sua implementação. Aquelas que ficarem de fora dessa tendência, certamente perderão muitas oportunidades de crescimento e prosperidade.

 

Por isso, neste texto você conhecerá a fundo os princípios desta norma, seus pilares, e como adotá-la em seu negócio com a máxima assertividade. Antes, confira os tópicos que serão abordados:

 

 

Boa leitura!

O que é a ISO de inovação?

A ISO de inovação é uma norma de diretrizes voltada para o desenvolvimento de um sistema de gestão de inovação para as empresas.

 

Criada pela International Organization for Standardization (ISO), foi desenvolvida após mais de 10 anos de estudo pelos países membros desta organização não governamental. Sua metodologia foi inteiramente pensada para auxiliar as empresas para que elas estejam mais preparadas para lidar com os altos impactos causados pelas transformações do mercado.

 

Em uma definição oficial, a própria ISO estabeleceu que a ISO de inovação: “fornece orientação para o estabelecimento, implementação, manutenção e melhoria contínua de um sistema de gestão da inovação para uso em todas as organizações estabelecidas”.

 

Ao contrário das outras normas criadas pela organização, a ISO 56002 não aponta um caminho rígido e único para desenvolver tal gestão. Mas sim, diretrizes e caminhos a serem trilhados com base nas metas e demandas de cada companhia.

 

Afinal, a inovação pode surgir e ser criada de diversas formas. Seja por um produto, serviço, processo, modelo, método ou a combinação de qualquer um destes fatores.  Ideias inovadoras podem ter inúmeras origens, desde que tragam novidade e gerem valor para a companhia.

 

Este conceito, compartilhado pela própria ISO, serve como um forte apoio aos gestores que iniciarem este processo internamente, de forma que possam abranger suas estratégias para caminhos antes não cogitados, em prol de ações inovadoras para o crescimento do negócio.

Quais os pilares da ISO de inovação?

A ISO de inovação foi desenvolvida com base em oito pilares. Veja quais são:

 

  • Direção estratégica: todo projeto de inovação precisa de um direcionamento estratégico, no qual as empresas devem definir seus objetivos, propósito e política voltadas à inovação;
  • Geração de valor: a inovação precisa gerar resultados mensuráveis e tangíveis para a empresa, seja pelo aumento do faturamento ou pela redução de despesas;
  • Abordagem por processos: a única forma de conquistar a geração de valor é definindo os papéis e responsabilidade de todos os envolvidos, e dos recursos necessários para inovar (pessoas, tempo, conhecimento, infraestrutura e investimentos);
  • Liderança com foco no futuro: característica fundamental para multiplicar e gerar o engajamento dos times para a inovação;
  • Cultura adaptativa: quando criada com foco na empatia, colaboração e experimentação, fortalece o processo de implantação desse sistema seja eficaz;
  • Gestão de incertezas: todo negócio está sujeito a riscos. Mas, para a ISO de inovação, eles devem ser considerados como possíveis oportunidades, utilizadas a favor da empresa para o desenvolvimento de um plano de ação contencioso para as ameaças;
  • Resiliência e adaptação: os gestores e líderes responsáveis por comandar esse processo devem ter uma postura resiliente e adaptativa para lidarem com as constantes mudanças do mercado da melhor forma;
  • Gestão de insights: para tornar a jornada inovadora mais eficaz, a ISO de inovação sugere a utilização de um funil com cinco etapas: identificação da hipótese, criação dos conceitos, validação dos conceitos, desenvolvimento da ideia e implementação da inovação.

Quais os benefícios?

Com a ISO de inovação, as empresas podem desenvolver e implementar um sistema de gestão robusto voltado para a inovação do seu negócio, o qual proporcionará inúmeros benefícios. Dentre eles, os principais são:

 

  • Melhorar a capacidade de lidar com incertezas;
  • Reduzir custos e desperdícios e, consequentemente, obter uma maior lucratividade;
  • Maior engajamento entre os colaboradores;
  • Melhorar a reputação da empresa no mercado, viabilizando negócios com organizações de maior porte.

 

O processo é inteiramente pensado estrategicamente com base nas metas organizacionais, dando vida a ideias e posturas que irão aproveitar o melhor que o ambiente e as pessoas têm a oferecer para uma organização.

 

Além de auxiliar com que tenham um maior controle sobre seus processos internos e potencializar a produtividade dos times, uma gestão voltada à inovação permite a coleta dos melhores insights do mercado, os transformando em oportunidades de crescimento.

 

Quando conduzida, ainda, por uma consultoria especializada no ramo, a ISO de inovação contribui para que a empresa se torne referência em seu ramo, ampliando seu market share e o valor agregado de seus produtos.

Como implementar a ISO de inovação?

A ISO de inovação pode ser implementada em qualquer empresa, independentemente de seu porte ou segmento. Para isso, as companhias terão que passar por cinco etapas ao longo do processo. São elas:

 

  • Assessment – diagnóstico da empresa, a fim de mapear seu nível de maturidade em relação ao tema;
  • Comitê de inovação – definição dos membros que serão responsáveis por garantir a criação e o funcionamento do sistema de inovação;
  • Metodologia de implementação – elaboração do plano estratégico da companhia;
  • Auditoria interna – avaliação do trabalho, a fim de encontrar possíveis e gaps e oportunidades de melhoria;
  • Auditoria de certificação – realizada por um organismo certificador para validar todos os itens normativos e afirmar se a empresa está em conformidade com a ISO 56002.

 

Mesmo se tratando de um processo extenso, ele pode ser ajustado conforme cada necessidade. Como exemplo, sua implementação pode ser aplicada tanto na empresa como um todo, quanto em um único departamento ou, ainda, em diversas filiais simultaneamente.

 

Mas, é sempre importante ressaltar que a eficiência máxima dos resultados desejados com a ISO de inovação será atingida, apenas, com o auxílio de uma consultoria especializada.

 

Vale a pena obter a certificação dessa norma?

Vale muito a pena.

 

Mesmo não sendo obrigatória, obter a certificação da ISO de inovação trará um peso enorme para a imagem da empresa no mercado. Afinal, o comércio internacional reconhece essa norma como a maior referência na implementação de um sistema de gestão.

 

Uma vez obtida, sua certificação abrirá muitas oportunidades de negócios ao redor do mundo. Principalmente, uma vez que diversas organizações solicitam este documento como requisito para trocas comerciais e parcerias.

 

Do ponto de vista interno, sua conquista favorecerá com que a empresa enxergue muitos pontos de melhoria para seu crescimento. Assim, conseguirá estabelecer as melhores ações de desenvolvimento para que aperfeiçoe processos e se destaque frente aos concorrentes.

Conheça a PALAS: consultoria pioneira na ISO de inovação

A PALAS foi a única consultoria do Brasil a participar do processo de formatação da ISO de inovação junto ao comitê internacional e, ainda, a única certificada no país.

 

Visando auxiliar com que cada vez mais empresas transformem ideias em resultados, criamos uma metodologia robusta para levar a inovação ao dia a dia das companhias.

 

Dentre tantos resultados já obtidos, está a conquista da primeira certificação da América Latina para a MZF4, uma indústria de transformação do ramo de nylon, na mesma semana em que a norma foi publicada, em julho de 2019.

 

Também implementamos essa norma na ATENTO, uma gigante da área de contact center, e em tantas outras empresas de diversos portes e segmentos. O Brasil está no pódio da inovação mundial, tendo sido um dos três primeiros a conquistar essa certificação.

 

Quer saber como a PALAS pode ajudar sua empresa a crescer e se destacar com um sistema de gestão de inovação? Entre em contato conosco!

 

Conclusão

A inovação já se tornou a palavra de ordem para o crescimento e prosperidade no mundo corporativo. Mas, muitas empresas enfrentam dificuldades em identificar por onde começar esse processo ou, ainda, o que deve modificar para alcançar os objetivos desejados.

 

Nesse cenário, a ISO de inovação surge como uma ferramenta poderosa, capaz de conduzir cada companhia, com base em seu perfil e necessidades, ao desenvolvimento de um sistema de gestão assertivo frente a suas metas.

 

Ao implementá-la, é essencial contar com a expertise de uma consultoria especializada no ramo. Apenas assim, terá a segurança de que conseguirá não apenas trazer melhorias significativas para seu negócio, como também aperfeiçoar sua imagem no mercado para futuros parceiros de negócio.

 

Se você gostou deste texto, não deixe de compartilhar nas redes sociais e conferir os outros artigos disponíveis em nosso blog.

Compartilhe:

Entre em
contato conosco

Iniciar Conversa
Fale conosco!
Fale conosco!