Programa de ideias de inovação: saiba como implantar

imagem de um grupo de pessoas ao redor de uma mesa rindo e conversando

Todos que iniciam sua jornada de destaque, certamente já ouviram falar sobre o programa de ideias de inovação.

 

Inovar não é um processo fácil, muito menos simples. É preciso estrutura, organização e, acima de tudo, um ambiente colaborativo que estimule esta prática entre todos os membros da empresa. Nessa missão, um programa de ideias pode ser a peça que falta para seu negócio alcançar grandes resultados no processo.

 

Em uma abordagem simplificada, este programa incentiva a criação de um espaço de compartilhamento de diferentes opiniões. Quanto mais ideias vierem, melhor para sua proposta de gerar valor.

 

Afinal, já está mais do que propagada a importância da participação coletiva para o crescimento das empresas. Seja para a resolução de um determinado problema, proposta de um novo serviço ou produto, ou melhoria a ser feita internamente.

 

Para o processo de inovação, essa participação se torna extremamente importante. O estímulo constante a essa prática faz com que os profissionais se sintam importantes para o processo, abrindo espaço para o surgimento de propostas criativas.

 

Toda empresa pode conquistar enormes benefícios com o programa de ideias para a inovação. Então, nos acompanhe neste texto para entender melhor esta proposta, suas vantagens e como implementá-la.

 

Veja os tópicos que serão abordados:

 

 

Boa leitura.

O que é um programa de ideias?

O programa de ideias representa uma prática de incentivo ao compartilhamento de propostas e sugestões dos profissionais de uma empresa.

 

Seja por meio de reuniões constantes ou, pela solicitação de feedbacks internos, sua proposta é estimular que todos deem suas opiniões sobre determinada prática ou situação.

 

Uma vez coletadas, de preferência em grande quantidade, essas ideias podem trazer insights importantes sobre os processos da companhia. Contribuindo desde a identificação de problemas que estão prejudicando seu crescimento, até possíveis melhorias para seus serviços e diferenciais a serem adotados.

 

Normalmente, o programa de ideias é voltado para o público interno das companhias. Mas, para conquistar metas ousadas, ele não deve se limitar aos colaboradores.

 

Sua aplicação nos consumidores e fornecedores também pode ajudar no desenvolvimento do processo de inovação. Afinal, são eles que recebem o produto final e, podem compartilhar suas experiências e opiniões com mais detalhes com base em suas expectativas.

 

Historicamente, não há uma data exata sobre o surgimento deste conceito. Contudo, a prática começou a ganhar força após a Segunda Guerra Mundial, quando as organizações começaram a redirecionar suas estratégias em práticas que superassem os desafios vistos e otimizassem seu gerenciamento.

Modelos de programa de ideias

Desde que foram adotados, os programas de ideias se dividiram em dois modelos distintos de aplicação: o ocidental e o oriental.

 

Cada um traz abordagens diferentes para sua prática, mas sempre levando ao mesmo objetivo da colaboração para geração de ideias. Entenda melhor a diferença entre eles:

 

Modelo ocidental

O modelo ocidental do programa de ideias, também conhecido como abordagem tradicional, é aplicado em um esquema de recompensa.

 

Como incentivo à participação, o compartilhamento de ideias inovadoras é remunerado por meio de recompensas econômicas, que podem variar caso a caso.

 

Em sua maioria, as empresas costumam conceder bonificações em dinheiro aos profissionais que participam do programa. Outra opção, ainda, é oferecer um percentual sobre os ganhos que a companhia terá com a implementação da ideia.

 

Para isso, todas as sugestões são analisadas e verificadas em relação à sua viabilidade técnica e econômica. Ou seja, considerando os investimentos e retornos que poderão ser gerados a partir dessa ideia.

 

Sua adoção somente é permitida após a aprovação pela administração responsável pelo processo. Para isso, deverão ser estabelecidos o prazo necessário para sua finalização, os recursos e metas para uma maior assertividade na entrega final.

 

Modelo oriental

O modelo oriental, ao invés da oferta de recompensas, estimula o envolvimento dos colaboradores por meio da participação voluntária.

 

Aqui, as recompensas são simbólicas, como forma de gratificar a colaboração entre todos. Para isso, a meta de sua aplicação não é com foco na geração efetiva das metas estipuladas, mas sim na conquista de maiores resultados econômicos.

 

Seu desenvolvimento foi fortemente baseado na metodologia japonesa “kaizen teian” (kaizen = melhoria contínua e, teian = proposta/sugestão). Para ela, quanto maior a participação de todos, maior será a acumulação de conhecimentos.

 

Por isso, a colaboração voluntária é tão valorizada. Segundo seus idealizadores, o processo de inovação deve caminhar simultaneamente com a melhoria do ambiente interno, com a criação de um clima favorável para a solução de problemas rotineiros.

 

O incentivo à essa ação conjunta, de acordo com a filosofia, deve ser constante. E, acima de tudo, acompanhada de perto para manter a qualidade das abordagens colocadas em prática.

Quais os benefícios do programa de ideias para a inovação?

Já ouviu o famoso ditado: “na era da economia digital, a informação é o novo petróleo”? O estímulo à conversação e trocas de ideias sempre permite insights preciosos para o crescimento organizacional, com visões diferentes sobre propostas a serem implementadas para este fim.

 

No programa de ideias, o incentivo a esse compartilhamento é uma ferramenta preciosa para a inovação, abrindo espaço para ideias disruptivas que possam ser a peça-chave para o destaque da empresa no mercado.

 

Nenhuma sugestão deve ser descartada imediatamente. Afinal, propostas aparentemente simples podem fazer toda a diferença para um aprimoramento no produto desenvolvido ou estratégia diferencial frente aos concorrentes.

 

A própria ISO, inclusive, defende que a inovação pode surgir de diferentes fontes de inspiração.

 

Inovar não significa apenas utilizar tecnologias sofisticadas no cotidiano profissional. Mas, encontrar a resolução de um problema de forma que traga benefícios para empresas ou pessoas. Isso, seja por meio de um produto, serviço, processo, modelo, método ou a combinação de qualquer uma delas.

 

Basta usar a criatividade a seu favor, independente da ideia que possa surgir.

 

Agregar valor à marca e ao produto

Conquistar uma maior lucratividade é um dos maiores objetivos de muitas empresas que iniciam sua jornada inovadora.

 

Mas, muito além do que elevar a margem de vendas, o programa de ideias de inovação é um excelente aliado na melhora da imagem organizacional no mercado.

 

Segundo os escritores Alan Robinson e Dean Schroeder, no livro “Organização Guiada Por Ideias”, cerca de 80% do potencial de melhoria de uma organização está na geração de ideias de linha de frente.

 

Ao aproveitar o máximo potencial de cada membro da companhia que são os responsáveis por comandar a produção diariamente, as chances de encontrarem soluções que realmente façam a diferença para sua operação, são exponencializadas.

 

Independentemente da ação adotada, uma simples modificação nos processos já é capaz de agregar um valor imenso à marca e ao produto criado, contribuindo para seu destaque no mercado e, ainda, colaboração ativa de cada vez mais profissionais por se sentirem valorizados por sua participação.

Como implementar um programa de ideias de inovação?

Para se diferenciar em um mercado competitivo, a inovação deve ser o carro chefe das estratégias organizacionais. E, para inovar, nada será tão favorável quanto o estímulo a diferentes ideias que possam contribuir para o crescimento da empresa.

 

Ao implementar um programa de ideias de inovação, confira as etapas que não podem ficar de fora do processo:

 

Conheça seu funil de inovação

O funil de inovação é uma ferramenta poderosa para a gestão do programa de ideias.

 

Este mecanismo permite a reunião das ideias propostas, avaliando quais são promissoras ou não. Sua proposta é aproveitar, ao máximo, cada uma das sugestões por meio de um filtro, selecionando as melhores.

 

Normalmente, envolve cinco etapas:

 

  • Alinhamento: a empresa analisa a sua estratégia e identifica quais temas devem direcionar para o programa de ideias de inovação;
  • Ideação: onde ocorre o estímulo à proposição de ideias, com base nos temas relevantes selecionados;
  • Conceituação: as ideias que saíram da etapa anterior são avaliadas a fim de que se tornem viáveis para implantação;
  • Ir ou não ir em frente: momento de definir quais sugestões têm melhores chances de sucesso e, quais deverão ser colocadas em prática;
  • Implantação: uma vez aprovado, é lançado no mercado para que a ideia ganhe forma.

Envolva os colaboradores no programa de ideias

Quanto maior for o envolvimento dos colaboradores no programa de ideias, maior a chance de conquista de resultados excelentes para o processo de inovação.

 

Não há uma resposta certa ou melhor para este projeto. Ideias inovadoras podem surgir de fins extremamente simples e, de fontes nunca antes imaginadas. Por isso, quanto mais perfis diferentes forem reunidos para o compartilhamento de opiniões, melhor será o resultado.

 

A diversidade é a peça-chave para o sucesso deste programa. Mas, acima de tudo, o reconhecimento pela participação de todos.

 

Explique a importância da colaboração de todos para a inovação do negócio e, ofereça recompensas para aqueles que integrarem. Seja por meio de bônus, prêmios, ou outras gratificações.

 

Descentralize o processo

Muitos comitês de inovação contam com um grupo para liderar e acompanhar o desenvolvimento do projeto. Por mais benéfico que seja, ele pode acabar trazendo certo atraso para o andamento do programa de ideias.

 

Grande parte das propostas do programa podem ser colocadas em prática rapidamente, sem terem que passar pela aprovação de todos os membros do comitê.

 

Por isso, busque, ao máximo, descentralizar este programa em prol de sua maior agilidade. Assim, os colaboradores terão um retorno mais rápido de suas sugestões e o tempo necessário para sua implementação.

 

Tenha um software de gestão de ideias para a inovação

À medida em que o programa de ideias for ganhando forma, é importante contar com o apoio de um sistema que acompanhe seu desenrolar e conquista das metas estipuladas.

 

Nesse processo, um software de gestão pode se tornar o aliado perfeito. Ele permitirá mensurar e avaliar com exatidão se o programa está sendo viável ou não, assim como o que pode ser aperfeiçoado.

 

Dentre todos os sistemas disponíveis, o CRIARE é o único software de gestão de inovação que atende aos requisitos da ISO 56002, a ISO de inovação. Ele permite toda a governança de inovação da empresa, de acordo com os pilares estabelecidos pela norma.

 

São eles:

 

  • Direção estratégica;
  • Abordagem por processos;
  • Geração de valor;
  • Liderança com foco no futuro;
  • Cultura adaptativa;
  • Gestão de incertezas;
  • Resiliência e adaptação;
  • Gestão de insights.

 

Para conhecer mais sobre o CRIARE essa plataforma como pode auxiliar na gestão de inovação do seu negócio, basta acessar o site e entrar em contato conosco.

 

Conclusão

Investir em um programa de ideias pode trazer resultados excelentes para o processo de inovação.

 

A multiplicidade de opiniões sempre é bem-vinda. Afinal, é graças a esta tamanha diversidade que soluções ideais podem surgir, impulsionando o negócio no mercado frente aos concorrentes.

 

Ao iniciar este processo, é importante se atentar às etapas fundamentais para sua assertividade. E, acima de tudo, sempre ressaltar a importância da colaboração ativa de todos para a conquista dos resultados desejados.

 

Em nosso blog, você pode conferir outros artigos sobre o universo da inovação e, as principais tendências do mercado. Fique por dentro.

Compartilhe:

Entre em
contato conosco

Iniciar Conversa
Fale conosco!
Fale conosco!