PALAS é a primeira consultoria certificada na ISO de inovação no Brasil

“Em casa de ferreiro, o espeto é de pau”. O velho ditado popular nunca fez sentido para a PALAS, consultoria pioneira na implementação da ISO 56.002, de gestão da inovação. A empresa, que fez todo o processo de implementação dessa norma em uma indústria de transformação, a MZF4 – que se tornou a primeira empresa certificada nessa norma na América Latina – acaba de anunciar sua própria certificação na ISO de inovação.

A história da consultoria com a ISO 56.002 começou em 2018, quando Alexandre Pierro, sócio-fundador da PALAS, se tornou um dos únicos brasileiros membro do comitê de estudos internacionais, o ISO TC-279. O especialista ajudou no processo de formatação da norma, que compila as melhores práticas em inovação nos 164 países membro da ISO – Organização Internacional da Padronização, entidade sem fins lucrativos sediada em Genebra, na Suíça. “Foi muito gratificante poder contribuir com a criação de uma norma que determina os princípios básicos para qualquer empresa que busca a inovação como um direcionamento estratégico”, orgulha-se.

Ainda durante a formatação da ISO 56.002, Pierro e sua equipe iniciaram o processo de implementação na MZF4, uma indústria do ramo de nylon, sediada em São Paulo. “Foi bastante desafiador implementar a norma ainda na versão draft. Tivemos muitas mudanças ao longo do trajeto, já que conforme a norma ia mudando, nós precisávamos mudar o sistema de gestão da empresa”, lembra. Mas, o esforço valeu a pena. A MZF4 foi a primeira da América Latina a receber essa certificação, na mesma semana em que a norma foi oficialmente publicada na Suíça, em julho de 2019.

Depois dessa conquista, a PALAS se dedicou a criar seu próprio sistema de gestão da inovação de acordo com a ISO 56.002. “Nós fomos amadurecendo ao longo do processo de implementação e, ao ver os benefícios que a MZF4 começou a colher logo nos primeiros meses, entendemos o potencial de negócios que essa norma oferece para empresas de todos os portes e segmentos. Então, resolvemos nós mesmos nos certificarmos a fim de viver o processo por inteiro, antes de levá-lo para outras empresas. Foi uma grande curva de aprendizagem”, destaca Pierro.

Na MZF4, os resultados já são nítidos. O faturamento advindo da criação de novos produtos com o sistema de gestão da inovação saltou de 2,5% para 9% da receita total da empresa. Só nesse período, 133 novos produtos foram lançados. “A empresa relata ainda uma grande melhora no seu valor de marca, no clima organizacional, no desenvolvimento de pesquisas, nas exportações e até juros menores em instituições financeiras, visto que demonstra estar mais preparada para lidar com as constantes disrupções e incertezas do mercado”.

As expectativas para o impacto dessa certificação para a PALAS também são grandes. “Acreditamos que ter passado pelo processo de desenvolvimento da norma, de implementação na versão draft e agora na nossa própria certificação é um grande diferencial competitivo. Sem dúvida, somos a consultoria mais experiente para levar a ISO 56.002 a outras empresas que também querem se preparar para a gestão do futuro. Estamos muito confiantes de que essa é a chancela primordial para abrirmos um novo mercado, baseado em muita qualificação e conhecimento de causa”, enfatiza.

Agora, Pierro trabalha junto ao comitê ABNT/CEE-130 para publicar a versão brasileira da ISO 56.002. “O documento está prestes a entrar em consulta pública e, se tudo der certo, teremos a versão em português ainda no primeiro semestre de 2020”, revela. De qualquer forma, as empresas podem fazer a implementação na versão inglesa, como aconteceu com a MZF4 e a PALAS. Estima-se que cerca de 70 empresas no mundo já se certificaram ou estão em processo de implementação. Entre elas, está a AirBus, empresa aeroespacial, a rede petrolífera Total e a Universidade de Lorraine, na França.  

Sobre a ISO 56.002

Fundada em 1947, com o intuito de ajudar na reconstrução das empresas devastadas pela Segunda Guerra Mundial, a ISO – Organização Internacional de Padronização, é uma instituição sem fins lucrativos sediada em Genebra, na Suíça. Em 2008, a ISO criou um grupo de estudos internacional, o ISO TC-279, a fim de mapear as melhores práticas de inovação de todos os 164 países-membro e, em 2019, publicou a ISO 56.002, de gestão da inovação.

Baseada em oito pilares – abordagem por processos, liderança com foco no futuro, gestão de insights, direção estratégica, resiliência e adaptabilidade, geração de valor, cultura adaptativa e gestão das incertezas – a ISO 56.002 defende que uma inovação pode ser um produto, serviço, processo, modelo, método ou a combinação de qualquer uma delas. Contudo, o conceito de inovação é caracterizado por novidade e valor. Isso significa que ideias sem a manifestação de valor não são inovações e sim invenções.

A ISO 56.002 pode ser implementada em empresas de todos os portes e segmentos. É possível fazer a implementação em um único departamento ou na empresa como um todo. Há ainda casos de implementação em várias unidades ao mesmo tempo, inclusive em países diferentes, no caso de multinacionais. O primeiro passo é a realização de um assessment, que avalia qual é o nível de aderência de uma empresa em relação aos pilares da norma. Depois disso, inicia-se o processo de implementação, que leva de seis a oito meses, dependendo do nível de complexidade e da maturidade da empresa em relação ao tema. Quando o sistema de gestão fica pronto, uma certificadora faz a auditoria de certificação, que, se aprovada, emite o atestado de conformidade da ISO 56.002.

Leia também:
PALAS é pioneira na implementação da ISO de inovação
ISO de inovação já representa 9% do faturamento anual da primeira empresa certificada na América Latina

Gostou deste artigo? Compartilhe com seus amigos e aproveite para seguir a PALAS no LinkedIn.

Compartilhe:

Entre em
contato conosco

Iniciar Conversa
Fale conosco!
Fale conosco!