Como a inovação aumenta a inclusão social?

Quando pensamos em tecnologias, principalmente as disruptivas, pensamos em como ela pode impactar a nossa sociedade, quais serviços e produtos podemos adquirir por conta dessa nova tecnologia. Um grande exemplo é o recente leilão do 5G no Brasil, muito se falou na imprensa da possibilidade de baixarmos vídeos de forma quase instantânea, usar sites de streaming em tempo real, e tantas outras aplicações, mas pouco se falou no impacto positivo dessa tecnologia no âmbito social.

Apesar de todos esses avanços, e todos esses inúmeros produtos e serviços novos que podemos adquirir por conta das novas tecnologias, um dos principais, ou talvez o principal benefício dela não sendo explorado de forma apropriada, que é a inclusão social.

Por conta dessas novas tecnologias, hoje podemos ter informações instantâneas e assim agir também de forma instantânea em  problemas sociais que afligem toda nossa sociedade, e esses problemas vão desde ao acesso restrito a energia elétrica, passando por locomoção em grandes centros urbanos ou melhorar a logística de distribuição de medicamentos.

Existem alguns casos muito interessantes da utilização da tecnologia para melhorar a inclusão social de pessoas, entre eles podemos citar a iniciativa de transições inteligentes de eletricidade em Lisboa, o qual utilizou tecnologias de energias renováveis, especialmente a solar, para ampliar o acesso a energia a todos aqueles que precisam, inclusive as famílias de menor poder aquisitivo. Com a instalação de medidores inteligentes e painéis solares em locais que eram possíveis, por exemplo telhado de casas, foi possível aumentar a demanda de energia disponível na rede elétrica e com isso ampliando o acesso a uma parcela da sociedade que estava marginalizada.

Outro exemplo da utilização das tecnologias para fins sociais é o que ocorreu em Bergen, na Noruega, onde o foco era melhorar a mobilidade dos cidadãos, além de minimizar a “pegada de carbono”, pois uma vez substituindo transporte de motores a combustão interna por motores elétricos, isso ajudaria a cidade ter um ar mais limpo, com menos emissão de carbono, e consequentemente ajudando o meio ambiente, o qual anda de “mãos dadas” com o social. Afinal não é possível pensar em questões sociais atualmente, sem pensar nas questões ambientais.

E quando pensamos em iniciativas que estão ocorrendo nesse exato momento, como o desenvolvimento de energias totalmente limpas através da fusão nuclear, ou de aplicativos que auxiliam os deficientes visuais a se localizarem na cidade e conseguir ter autonomia para se locomover (esse aplicativo já está disponível em versão beta – e chama-se Be my Eyes), podemos pensar nas inúmeras oportunidades que temos de melhorar a inclusão social e diminuir o abismo de diferenças que temos hoje na nossa sociedade.

Mais do que nunca precisamos mudar o nosso olhar para um mundo mais focado em demandas sociais, ambientais e coletivas, e a inovação tecnológica pode criar soluções que adicionem valor para a sociedade como um todo.

Compartilhe:

Entre em
contato conosco

Iniciar Conversa
Fale conosco!
Fale conosco!