Inovação aberta: o que é e quais seus benefícios?

Por mais que a inovação aberta já seja entendida e considerada como fundamental para todos que queiram se destacar no mercado, poucos sabem como implantá-la com eficiência. Ainda mais, em um planejamento que vá ao encontro de suas necessidades.

 

A estratégia e organização fazem parte de todo processo de inovação. Mas isso não significa que devem ser feitos isoladamente, sem o auxílio de um terceiro para abrir sua mente e guiá-los para as melhores oportunidades.

 

Essa é, justamente, a proposta da inovação aberta. Ela quebrou muitos paradigmas existentes no mundo corporativo, mostrando que existem outros caminhos mais colaborativos e descentralizados em alcançar as mesmas metas inovadoras de uma companhia.

 

Com um aumento dessa tendência, neste texto abordaremos melhor no que consiste a inovação aberta, seus principais tipos, vantagens e, especialmente, como implantá-la em sua empresa.

 

Veja os tópicos que serão abordados:

 

  • O que é inovação aberta?
  • Quais as diferenças entre inovação aberta e fechada?
  • Quais os tipos de inovação aberta?
  • Quais os benefícios da inovação aberta?
  • Como implementar a inovação aberta?

 

Vamos começar.

O que é inovação aberta?

A inovação aberta (open innovation) é um modelo de gestão de inovação cuja metodologia promove uma maior colaboração entre os funcionários e, ainda, outras empresas externas à organização.

 

Ela representa uma verdadeira transformação no mindset corporativo por incentivar a participação de membros que, antes, não faziam parte do processo de inovação. O compartilhamento do conhecimento é a principal premissa como garantia de sucesso da implementação de sua gestão.

 

O termo foi criado em 2003, pelo escritor Henry Chesbrough, também ex-gerente de uma empresa de tecnologia no Vale do Silício e diretor–fundador do Centro de Open Innovation.

Em sua obra, Chesbrough retrata esta abordagem de inovação mais colaborativa e descentralizada, com a justificativa de que hoje, nenhuma empresa é capaz de inovar por conta própria. Por mais capaz que seja e independentemente de seu porte.

 

Segundo sua definição exata, o autor explica que: “ela é o uso de fluxos de conhecimento internos e externos, para acelerar a inovação interna e expandir os mercados para o uso externo de inovação, respectivamente”.

 

A princípio, a inovação aberta pode sugerir uma ruptura abrupta no mercado de trabalho. No entanto, ela representa algo que mira muito mais o futuro.

Quais as diferenças entre inovação aberta e fechada?

A inovação aberta e a fechada representam modelos de gestão completamente diferentes. Sua principal diferença está no modo no qual o projeto é criado e desenvolvido.

 

Na primeira, como abordamos, a proposta está no incentivo à colaboração e engajamento de terceiros que, normalmente, não fazem parte do time “padrão” de gestão interna.

 

Já a inovação fechada, por sua vez, é limitada ao ambiente interno da organização. Ela é adotada por grande parte das empresas mais tradicionais, que detém a propriedade intelectual do que foi desenvolvido.

 

Na prática, tudo o que for pensado e criado será mantido em sigilo internamente, não sendo compartilhado com terceiros. Enquanto a inovação aberta, por outro lado, utiliza elementos internos e externos para gerar valor à organização.

Quais os tipos de inovação aberta?

Existem três principais tipos de inovação aberta no mercado, que garantem grande eficiência neste processo. São eles: o inbound, outbound e o coupled. Veja as características de cada um.

Outbound

A inovação aberta em outbound é considerada por muitos como uma das mais proativas.

 

Ela é caracterizada pela aplicação da tecnologia em processos abertos de exploração. Ou seja, incentiva o compartilhamento de conhecimento entre terceiros na criação de soluções para os clientes, que participam de iniciativas já em andamento ou no desenvolvimento de novas tecnologias e produtos.

 

Como resultado, o outbound na inovação aberta proporciona uma maior geração de receita intelectual para a empresa.

Inbound

A proposta do inbound na inovação aberta é trazer pessoas de fora para dentro da organização, com a proposta de ajudar na resolução de problemas específicos. Ele pode ser feito em parceria com startups, fornecedores ou consultores, como exemplo.

 

Sua ideia é, justamente, adotar a ideologia da colaboração entre fatores externos, integrando diferentes conhecimentos e experiências na solução do que for necessário. Seja no desenvolvimento de produtos ou na aquisição da propriedade intelectual de outras organizações.

Coupled

Por fim,a inovação aberta coupled une os dois métodos anteriores por uma mesma empresa.

 

Na prática, isso significa que ao mesmo tempo em que a organização estiver buscando novas ideias e informações internamente, ela também irá trabalhar desenvolvendo e comercializando inovação em conjunto com outros negócios.

 

Ele representa uma solução integrada, onde diferentes empresas se juntam para trazer uma solução que atenda a todas.

Quais os benefícios da inovação aberta?

Muitos se questionam se vale a pena mudar o mindset tradicional da organização para um com propostas completamente disruptivas voltadas ao compartilhamento de ideias.

 

A resposta é sim, e existem muitas vantagens para isso!

 

Prova disso está em um estudo feito pela PwC. Seus dados divulgados mostraram que 61% das empresas destaques em inovação já estão alterando seus modelos organizacionais para a inovação aberta.

 

Um aumento impressionante, conquistado principalmente pelo fato de que a inovação aberta não representa um novo modelo de negócio, mas sim uma diferente metodologia de se pensar e colher resultados.

 

Como resultado, os benefícios para as organizações são vários. Veja os que mais se destacam:

Redução de custos

Todo processo de inovação demanda custos que, normalmente, não são tão baixos. Porém, na inovação aberta, eles tendem a ser menores se compararmos com outras metodologias.

 

Isso ocorre devido ao seu foco na colaboração com outros parceiros, que irão dividir os gastos necessários. Em alguns casos, é possível ainda se utilizar da recombinação do que já existe no mercado para criar algo novo, o que demandará um custo praticamente nulo.

Otimização do tempo

A maior quantidade de profissionais, organizações e outros parceiros acelera muito o desenvolvimento do processo de inovação. Como resposta, isso gera uma importante vantagem competitiva ou, pelo menos, impede que o seu negócio seja ultrapassado rapidamente pela concorrência.

 

Em um artigo publicado na Forbes, Henry Chesbrough comprova esse benefício. O professor afirma que: “a inovação aberta é uma das formas mais lucrativas de inovar, porque pode reduzir custos, acelerar o tempo de comercialização, aumentar a diferenciação no mercado e criar novos fluxos de receita para a empresa.”

Agrega valor à marca

A inovação aberta pode ser o combustível que faltava para que sua empresa se destaque no mercado.

 

Com um maior valor agregado à marca, novos clientes poderão surgir com força, uma vez que terão uma visão completamente diferente sobre a empresa. Sem falar ainda em potenciais investidores e parceiros de negócio.

Abertura a novos mercados

Por fim, a inovação aberta abrirá portas para novas oportunidades de mercado.

 

Afinal, sua metodologia disruptiva e colaborativa foca na criação de soluções diferentes que, poderiam não ser enxergadas com abordagens mais fechadas e sem a participação de outros membros para tal.

Como implementar a inovação aberta?

A inovação aberta pode ser implementada por qualquer empresa. Mas isso não significa que pode ser feito de qualquer maneira ou, ainda, sem levar em consideração alguns fatores importantes.

 

Cada negócio possui suas demandas e necessidades, o que tornará o processo de implantação diferente em cada caso. Apesar disso, seja qual for a situação, existe um ponto em comum entre todos: a necessidade de uma cultura de inovação aberta aliada a uma estratégia clara do que é desejado.

 

O que você deseja alcançar? Qual tipologia da inovação aberta é a melhor para o seu negócio? Quais processos devem ser aperfeiçoados e investidos? Essas são perguntas chaves que devem ser respondidas como ponto de partida.

 

Mas além disso, o open innovation será assimilado de forma muito mais eficiente em organizações que tenham um perfil mais flexível e, acima de tudo, mente aberta para pensar e agir fora de sua zona de conforto.

Startups e parceiros de negócio

As startups são alguns dos exemplos mais reconhecidos nesse sentido, focando suas operações em soluções tecnológicas que se adequem às metodologias características da inovação aberta.

 

Além delas, existem outros centros de inovação referência no mercado que auxiliam empresas que desejam se aventurar nessa jornada. Elas respiram a inovação em seu dia a dia, com toda a expertise necessária para guiá-los nos melhores caminhos para seu crescimento.

Hackatons

Existem ainda diversos programas voltados ao open innovation que podem trazer grandes inspirações para o seu negócio, como os Hackatons.

 

Eles são maratonas que envolvem programadores, desenvolvedores, designers gráficos, gerentes de projetos e outros profissionais multidisciplinares para trabalhar em projetos de tecnologia. Seu objetivo é criar um recurso ou encontrar uma solução para uma questão proposta.

 

Ao final, os participantes se reúnem para apresentar suas ideias. As propostas apresentadas podem ser exatamente o que sua empresa precisa para aplicar a inovação aberta.

Crowdsourcing

O crowdsourcing é uma proposta colaborativa para a resolução de problemas, ação bem característica das propostas da inovação aberta.

 

É como montar um time para um projeto, sem que os membros da equipe sejam, necessariamente, pertencentes à organização. Ele pode integrar profissionais de outras instituições, estudantes e até mesmo clientes.

 

Aqui, a ideia é criar um dream team para desenvolver a ideia proposta, com uma maior pluralidade de visões e opiniões.

Conclusão

Cada vez mais empresas estão apostando na inovação aberta como parte de seu processo de crescimento. Seus benefícios já são mais do que comprovados e, não há como negar a vantagem de um modelo colaborativo e participativo na criação de soluções inovadoras para o negócio.

 

Para aqueles que não sabem ao certo por onde começar, não hesite em buscar auxílio de organizações especializadas na inovação aberta. Elas serão capazes de analisar suas necessidades e orientá-las para o descobrimento das melhores ações.

 

Em nosso blog, temos outros artigos sobre o universo da inovação e seus benefícios no mundo corporativo. Dê uma olhada!

Compartilhe:

Entre em
contato conosco

Iniciar Conversa
Fale conosco!
Fale conosco!