Qual o melhor caminho para seguir em uma sociedade automatizada?

Estamos vivendo uma época sem precedentes em nossa sociedade, onde a tecnologia tomou um lugar de destaque nos nossos cotidianos. A automação total e plena das indústrias, está se tornando cada vez mais uma realidade em nossa rotina, – caminhando a passos largos para uma mudança que, apenas foi vista na primeira Revolução industrial, onde o estilo de vida de todos foi radicalmente impactado.

Hoje, estamos vivendo a quarta Revolução industrial, caracterizada por um conjunto de tecnologias digitais que visam aumentar e potencializar, ao máximo, a produtividade industrial – favorecendo, dessa forma, para um maior lucro nas empresas.

Em conjunto à essa nova fase, presenciamos o surgimento do conceito de “Comunismo De Luxo Totalmente Automatizado”. Criado em 2019 pelo jornalista britânico Aaron Bastani, sua ideia principal enquadra o surgimento de uma futura economia que supera a lógica da escassez – tanto no sentido da disponibilidade de recursos, quanto da criação artificial na lógica de mercado capitalista.

Praticamente, ele defende o uso das tecnologias para ajudar a melhorar o bem-estar da sociedade, levando em consideração vários aspectos – desde a sustentabilidade ecológica, melhoria da qualidade de vida coletiva e, a busca de um propósito individual de cada membro da sociedade.

Analisando sua aplicabilidade, é importante questionar se essas são as únicas vias rumo à sociedade automatizada. Para responder esse questionamento, Adrian Smith e Mariano Fressolib escreveram um artigo em 2021 propondo uma nova trilha em busca deste objetivo, cujo conceito foi chamado de pós-automação.

Nele, questões como sustentabilidade, criatividade humana, trabalho digno e cuidado relacional, estão no centro do debate.

Fig 1 - Automação e pós-automação.

Quando analisamos essas três possíveis vias para uma sociedade totalmente automatizada, o papel ativo da figura humana despontou como centro de todo o processo.

Tanto na ideia do “Comunismo De Luxo Totalmente Automatizado” quanto na da “pós-automação” a figura do bem-estar e da sustentabilidade estão presentes, mostrando que cada vez mais, precisamos levar em conta a escassez dos nossos recursos naturais e que não é mais sustentável termos um padrão de vida voltado apenas para bens materiais.

Afinal, outros parâmetros tão importantes quanto, também devem ser levados em consideração, como o propósito individual, bem-estar e trabalhos dignos.

Em vista desses levantamentos, é necessário colocar em pauta essas discussões para, assim, podermos estar preparados para a automação total da nossa sociedade – algo, inclusive, que já está ocorrendo nesse exato momento.

 

Bibliografia:

Smith, A., & Fressoli, M. (2021). Post-automation. 

https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0016328721000872?via%3Dihub

 

Compartilhe:

Entre em
contato conosco

Iniciar Conversa
Fale conosco!
Fale conosco!